101kv

disputa de versões

Filho de depoente da CPI do MST desmente a mãe, aliada de grupo bolsonarista no sul da Bahia

“Infelizmente, minha mãe foi cooptada”, lamentou o sem-terra em vídeo divulgado após depoimento de Vanuza dos Santos

101kv | São Paulo (SP) |
Vanuza Santos ao lado de Ricardo Salles, durante seu depoimento à CPI do MST, na Câmara dos Deputados, nesta terça (8) - Foto: Reprodução/Youtube

O assentado Cássio Souza Santana, membro do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), gravou um vídeo nesta terça-feira (8) desmentindo o depoimento que sua mãe, Vanuza dos Santos de Souza, prestou mais cedo à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do MST, na Câmara dos Deputados. Vanuza é ex-integrante do movimento e hoje é aliada de grupo bolsonarista acusado de perseguir membros do MST no sul da Bahia.

Continua após publicidade

“Essas questões não são fáceis para mim, mas são verdades que precisam ser ditas, porque elas constituem um ataque a um coletivo nacional que tem uma importância muito grande nesse país”, afirmou Santana em vídeo.

Em depoimento à CPI, Vanuza Santos atacou o MST. “Eu comecei a não querer mais participar das atividades do movimento e passei a ser perseguida, com ameaças de me mandarem embora e desocupar o lote”, disse a ex-integrante do movimento, em resposta às perguntas do deputado federal Ricardo Salles (PL-SP), ex-ministro do governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

“Infelizmente, a partir de 2019, aquilo que era um sonho para mim e minha mãe, de ter um pedaço de terra, foi por água abaixo por causa de um direcionamento do ex-presidente da República, Jair Bolsonaro, e pessoas ligadas a ele, como o Liva, que vai depor na CPI”, acusou o integrante do MST.

Liva é Elivaldo da Silva Costa, ex-membro do movimento, acusado por famílias assentadas de comandar um grupo bolsonarista que “aterrorizava” assentamentos do MST no sul da Bahia.

:: Quem é Liva do Rosa, 'soldado' de Bolsonaro e ex-membro do MST que será escutado por CPI nesta terça (8) ::

Seria esse grupo, de acordo com Santana, que teria agido para levar terror aos assentamento. “Infelizmente, minha mãe foi cooptada. Em 2021, Liva e Nil [que também é ex-integrante do movimento], junto com outros antigos acampados aqui [no sul da Bahia], fizeram um ataque a uma caravana do MST que estava vindo de uma atividade, indo para outra, e eles atiraram no ônibus, colocaram fogo, causaram tumulto no acampamento e sequestraram pessoas”, detalhou Santana.

Em abril de 2021, após uma série de acusações de Vanuza contra o movimento, o MST denunciou a ex-integrante por calúnia e difamação à Delegacia de Polícia Civil de Prado, no Sul da Bahia. O Boletim de Ocorrência não avançou, e o caso segue parado, sem investigação.

Veja o vídeo:

 

Edição: Rodrigo Chagas


101kv Mapa do site

1234